HAS

Atenção com a Hipertensão Arterial, cães e gatos também podem ser hipertensos!*

A medida da Pressão Arterial (PA) em animais de companhia é uma realidade e deve ser utilizada na rotina clínica como parâmetro ambulatorial, seu uso de forma contínua é exigido em procedimentos anestésicos, cirúrgicos e em várias condições. A PA pode ser definida como a força que o sangue exerce contra qualquer unidade de área da parede arterial. Os valores de PA são expressos em milímetros de mercúrio (mmHg) nas seguintes formas: PA sistólica (PAS), PA diastólica (PAD) e PA média (PAM). Conhecer a PA do Pet é importante para acompanhamento e diagnóstico prematuro de enfermidades, fazer as medidas quando das vacinas e sempre que estiver sob cuidados veterinários é uma exigência atual da clínica médica veterinária. Uma das doenças, assim como nos humanos, que é sub diagnosticada é a hipertensão arterial sistêmica (HAS), ocorre quando o aumento da PA é contínuo e/ou sustentado. Geralmente em pequenos animais trata-se de forma secundária, devido à existência de uma enfermidade como causa de base, por isso a determinação da PA deve ser instituída na rotina clínica durante o atendimento ambulatorial de cães e gatos, visto que enfermidades importantes possuem a HAS na sua fisiopatologia, dentre elas, pode-se citar: diabetes mellitus, hiperadrenocorticismo, hiperaldosteronismo e principalmente a doença renal crônica (DRC), mostrando a importância na prática da clínica veterinária. Diferentes tecidos podem ser danificados pela hipertensão sistêmica, há, por exemplo, uma forte relação entre injúria ocular e hipertensão em cães e gatos. O rim é outro órgão muito suscetível a danos causados pela hipertensão sistêmica. Quando a pressão elevada atinge diretamente os capilares glomerulares, ela causa hipertensão glomerular e consequente dano aos glomérulos, com redução progressiva da função renal. Outras manifestações secundárias à hipertensão arterial são hipertrofia concêntrica do ventrículo esquerdo, disfunção diastólica e insuficiência valvar secundária, devido ao aumento da resistência vascular periférica e hemorragia cerebral. Na clínica, o diagnóstico de hipertensão sistêmica é baseado na determinação da pressão sanguínea arterial. As pressões sanguíneas podem ser agrupadas conforme os seus valores, quatro grupos diferentes, estabelecendo, dessa forma, parâmetros para sua avaliação clínica: normal – (PAS) entre 110 a 120 mmHg e pressão arterial diastólica (PAD) entre 70 a 80 mmHg.

blog

Montagem

O reconhecimento da HA, a determinação da PA deve ser efetuada rotineiramente, como também devem ser investigadas as causas de doença primária e principalmente de lesões em órgãos alvos, tais como: coração, rim, encéfalo e olhos; pois a elevação constante da PA compromete estes órgãos, afetando a qualidade de vida do paciente e/ou acelerando a doença primária. O diagnóstico da HA deve acontecer de forma precoce e a terapia anti-hipertensiva deve ser instituída nos pacientes com o diagnóstico confirmatório de HAS, após exames e com orientação de um profissional médico veterinário. O tratamento a ser administrado depende da espécie, doenças concomitantes e lesão em órgãos-alvo, bem como deve ser avaliada a resposta à terapia. O tratamento possui o objetivo de controlar a HA e manter a PA em valores máximos de 150/95 mmHg (PAS/PAD).

A necessidade de exames de rotina conforme a necessidade do paciente, instituídos de forma a diagnosticar as doenças assintomáticas e conforme os fatores de risco, devem ser uma necessidade na clínica veterinária.

Palavra chave: cegueira, glaucoma, acidente vascular cerebral, oscilométrico, doppler.

www.ctiveterinario.com.br

Paulo Daniel Sant’Anna Leal
Coordenador Técnico do Centro de Terapia Intensiva e Emergência Veterinária
Médico-Veterinário, Mestre-MSc e Doutor-DScV, Membro da Academia de Medicina Veterinária do Estado do Rio de Janeiro.  Pós Doutorando Curso de Pós-Graduação de Ciências Veterinárias.  Anexo 1, Instituto de Veterinária, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ). BR 465 km 7. Campus Seropédica, 23.890-000, RJ. E-mail: ctivet@ctiveterinario.com.br

CTI VeterinárioAtenção com a Hipertensão Arterial, cães e gatos também podem ser hipertensos!*

Deixe uma resposta