parvo

Parvovirose canina, a doença a ser evitada!

   Várias enfermidades em filhotes podem se complicar e promover o óbito, uma das mais comuns e grave é a parvovirose, que quando associada a parasitismo intestinal (vermes, protozoários, coccidios e a ciniclomicose) ou outras viroses, aumentam a morbidade e mortalidade, como o coronavírus canino, vírus que tem sido associado a surtos esporádicos de gastrinterite moderada em cães de todas as idades, porém com maior gravidade em filhotes. Quando essas doenças ocorrem associadas com o parvovírus, frequentemente é fatal nos filhotes.

   O parvovírus canino (CPV) é um vírus presente no Brasil a mais de quatro décadas. Com grande morbidade e mortalidade, provocando de acordo com as cepas virais existentes, problemas reprodutivos, diarreia, miocardite, gastrinterites hemorrágicas em filhotes entre seis semanas e seis meses de idade. Animais não vacinados estão desprotegidos e sinais clínicos como hiporexia, anorexia, sensibilidade abdominal, apatia, vômitos, desidratação, febre com temperatura acima de 39,5°C, devem ser motivo para a busca urgente do serviço de saúde veterinário. O diagnóstico é com base no histórico, epidemiologia e resultados clínicos e laboratoriais encontrados principalmente em filhotes com menos de cinco meses. O tratamento é de suporte e sintomático, os principais objetivos terapêuticos consistem na normalização do equilíbrio hídrico, eletrolítico, ácido-base, proteção da mucosa gastrintestinal, controle do vômito e com principal atenção as infecções secundárias. A alimentação é fundamental, assim como a terapia com fluido, através de acesso venoso, primordial no tratamento da CPV e deve manter-se até que o vômito e diarreia cessem e a normovolemia seja alcançada. Lembrando que parasitos gastrintestinais (verminoses e protozoários) são os complicadores na recuperação dessa virose e constituem os agentes muitas das vezes responsáveis pela entrada do vírus no organismo. A vacina é a forma mais eficiente de proteção, através de uma avaliação clínica, pelo profissional veterinário e a escolha do melhor protocolo vacinal, inclusive nas cadela que entraram em reprodução, assim como o manejo adequado para os parasitos gastrintestinais. 

Palavra chaves. gastrinterites, diarreia, vômito, cães.

image

e1dd8aef-0429-41ed-b495-b5401689fd66

www.ctiveterinario.com.br

Paulo Daniel Sant’Anna Leal
Coordenador Técnico do Centro de Terapia Intensiva e Emergência Veterinária
Médico-Veterinário, Mestre-MSc e Doutor-DScV, Membro da Academia de Medicina Veterinária do Estado do Rio de Janeiro.  Pós Doutorando Curso de Pós-Graduação de Ciências Veterinárias.  Anexo 1, Instituto de Veterinária, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ). BR 465 km 7. Campus Seropédica, 23.890-000, RJ. E-mail: ctivet@ctiveterinario.com.br

CTI VeterinárioParvovirose canina, a doença a ser evitada!

Deixe uma resposta