displasia-coxofemoral-01

Seu Pet tem Dor? Doenças ortopédicas nos Pet!

As claudicações ou o ato de mancar são bastante frequentes nos nossos Pets, esta muitas das vezes, associada a doença articular crônica ou doença ortopédica degenerativa. A mais prevalente nos cães é a displasia coxofemoral, seguida da displasia de cotovelo, causa frequentemente diagnosticada nas claudicações nos cães, doença de caráter irreversível, poligênico, multifatorial e extremamente complexa, que resulta em degeneração das articulações. Além da hereditariedade e poligenia, a manifestação e desenvolvimento são dependentes de vários fatores: porte físico, estrutura e conformação corpórea, disparidade no desenvolvimento entre músculo e osso, taxa elevada de crescimento, nutrição excessiva ou inadequada, distrofia no músculo pectíneo, insuficiência da massa muscular pélvica, excesso de atividade física em cães jovens, manejo ambiental e aspectos hormonais, sendo a obesidade e a raça os fatores essenciais para sua manifestação. Observada com maior frequência a partir dos dois anos, porém pode se manifestar em animais muito jovens, com três meses de idade e aumentando com a idade, acometendo um grande número de raças inclusive cães sem raça definida.  Os animais afetados por esta doença podem nascer com articulações normais, mas o genótipo displásico associado a fatores ambientais adversos contribuem para sub luxações e o aparecimento da artrose.

A profilaxia ou controle é com base na seleção dos reprodutores, é uma das mais graves doenças hereditárias. A criação seletiva de apenas cães normais com ninhada normais e pais e avós normais é o método recomendado de reduzir a incidência na população em geral.

Rx Steel VD 2 Rx joelho Sully IMG_9539

É uma doença evolutiva, estando associado à osteoartrite, comprometendo a mobilidade da articulação, dor e claudicação em graus variáveis com sinais clínicos variando desde dor intermitente até a incapacidade de utilizar o membro afetado.  Para um diagnóstico correto é necessário associar exame clínico com exames de imagens, sempre com a utilização da sedação ou anestesia.

O tratamento é multifatorial, controlando ou corrigindo todos os fatores que contribuem para a degeneração articular, definido de acordo com o grau de alterações que o animal apresenta, tratamento clínico ou cirúrgico, sempre associado à fisioterapia como método de reabilitação do paciente e o controle da dor, dentre as técnicas cirúrgicas, a desnervação acetabular refere-se a um procedimento cirúrgico utilizado quando a osteoartrose esta associada, é eficaz no alívio da dor, assim como a colocação de prótese total da articulação coxofemoral, além de diversas outras técnicas cirúrgicas já descritas, além da utilização de terapia com células tronco.

   Fotos midia emaile1dd8aef-0429-41ed-b495-b5401689fd66

Devemos ter atenção aos sinais clínicos e a presença de dor nos Pets, principalmente nos cães que possuem algum fator de risco. Quanto mais cedo o diagnóstico é feito, maior a chance de diminuir a velocidade de evolução da doença degenerativa articular, através de condutas clínicas conservadoras ou cirúrgicas.

A Displasia é uma importante doença incapacitante nos Pets, e sem nenhuma dúvida, compromete a qualidade de vida pela presença da dor crônica.

Palavra chave: displasia, claudicação, artrose, artrite.

www.ctiveterinario.com.br

Paulo Daniel Sant’Anna Leal
Coordenador Técnico do Centro de Terapia Intensiva e Emergência Veterinária
Médico-Veterinário, Mestre-MSc e Doutor-DScV, Membro da Academia de Medicina Veterinária do Estado do Rio de Janeiro.  Pós Doutorando Curso de Pós-Graduação de Ciências Veterinárias.  Anexo 1, Instituto de Veterinária, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ). BR 465 km 7. Campus Seropédica, 23.890-000, RJ. E-mail: ctivet@ctiveterinario.com.br

CTI VeterinárioSeu Pet tem Dor? Doenças ortopédicas nos Pet!

Deixe uma resposta