9bdaec42-efa7-4f59-bbf5-a8eae3f4dd2e

8 dicas para evitar pulgas, carrapatos, mosquitos, moscas, piolhos nos Pets.‏

As doenças transmitidas por artrópodes são responsáveis por várias problemas de saúde nos Pets. Algumas destas doenças, como as viroses e as parasitarias tais como: erliquiose, leishmaniose, dirofilariose, babesiose, que constituem importantes problemas de saúde nos Pets e algumas delas, para seres humanos. As doenças transmitidas por artrópodes são, a cada ano, responsáveis por uma em cada 17 mortes humanas no mundo. Estão entre os principais riscos para a saúde durante os passeios na rua, no próprio habitat (casa, apartamento), nas viagens e podem ocorrer inclusive nos países mais desenvolvidos. A profilaxia é a forma mais eficiente de evita-las, logo o objetivo é evitar a picada do inseto vetor contaminado, pois a picada é a forma mais eficiente de transmissão desses agentes.  As doenças transmitidas por vetores (pulgas, carrapatos, mosquitos, moscas, piolhos) em cães e gatos assim como nos humanos são de grande relevância na saúde e podem promover graves doenças, acometendo também aos proprietários, portanto devemos ter atenção a elas, veja algumas dicas:

1. Sempre manter seu Pet protegido através dos produtos que possuem efeito sobre esses vetores inclusive o de repelência, como coleiras ou produtos Top Spot (aplicação na pele), lembrando que a principal forma de transmissão das doenças é através da picada e ingestão  (pulgas, mosquitos, moscas, carrapatos e piolhos), logo produtos com ação repelente evita ou diminui a chance de ocorrer a infecção e reações alérgicas devido a picada. Necessitam serem prescritos  por um Médico Veterinário, pois na maioria das vezes a escolha depende de uma estratégia de ação com dois tipos de produtos escolhidos.
2. Obedecer rigorosamente os prazos para reaplicação, pois as “janelas” de falha ocorrem e podem comprometer o Pet, principalmente na prevenção da Dirofilariose, causada pela Dirofilaria immitis, verme que quando adulto se aloja no coração e pode chegar a 30 cm de comprimento, trazendo sérios danos a saúde do seu Pet.
3. Sempre procurar parasitos na pele e pelo, pois a utilização desses produtos não é garantia 100% de ausência dos vetores, porém diminuem significativamente o risco do parasitismo.
4. Reações alérgicas podem ser desencadeada pela picada destes vetores, em caso de prurido deve se examinar toda a pelagem afim de ter certeza da ausência desses parasitos ou seus resíduos (fezes).
5. Mais de 50% dos cães e 25% dos gatos domiciliados, possuem algum hemoparasito, que de forma silenciosa provoca danos em outros orgãos e agravam as doenças crônicas, portanto é fundamental uma profilaxia adequada.
6. Pets que possuem contato com a rua devem ter maior atenção, pois o desafio é maior e estão expostos a um contato com os vetores (carrapatos, pulgas). lembrem-se de antes de entrar no domicilio tenham o cuidado de observar a pelagem para a presença de parasitos.
7. Exames rotineiro, conforme a faixa etária deve ser feito para um diagnóstico prematuro da doença e sucesso do tratamento.
8. Telas de proteção (mosquitos) devem ser lembradas também, pois são de eficiência comprovada, incluindo proteção a família.
Palavra chave: arbovirose, vetores, cães, gatos.

Consulte o seu médico veterinário.

Sequencia de fotos
e1dd8aef-0429-41ed-b495-b5401689fd66

www.ctiveterinario.com.br

Paulo Daniel Sant’Anna Leal
Coordenador Técnico do Centro de Terapia Intensiva e Emergência Veterinária
Médico-Veterinário, Mestre-MSc e Doutor-DScV, Membro da Academia de Medicina Veterinária do Estado do Rio de Janeiro.  Pós Doutorando Curso de Pós-Graduação de Ciências Veterinárias.  Anexo 1, Instituto de Veterinária, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ). BR 465 km 7. Campus Seropédica, 23.890-000, RJ. E-mail: ctivet@ctiveterinario.com.br

CTI Veterinário8 dicas para evitar pulgas, carrapatos, mosquitos, moscas, piolhos nos Pets.‏

Deixe uma resposta